Fifa vai acabar. RIP franquia FIFA

Você deve estar ciente da questão da federação de futebol com a EA, talvez as organizações mais odiadas no mundo, onde muita gente entra em consenso só para odiá-las, a Federação, FIFA, quer o dobro de dinheiro agora para poder emprestar o nome para a franquia de jogos da EA, que também se chama fifa.

O contrato está acabando em 2022, enquanto a EA já achava que tudo estava se encaminhando para uma renovação como sempre, sabe aquele amigo que é tão íntimo que já chega abrindo a porta da geladeira, não bate na porta mais, sabe onde você escondeu a chave, é assim que a EA estava, só que agora a federação tem outros planos.

Foi uma porta na cara da EA, mas para não mostrar isso, a EA disse em público que está pensando em mudar o nome da franquia para sempre e isso também irritou a federação.

Infantino, que é o chefão da federação finalmente em 2021 percebeu como o mundo dos jogos pode ser lucrativo, então junto com a febre das NFTs e do Esports, Gianni Infantino quer participar disso de uma forma maior e mais centralizadora, a Fifa mudou muito de alguns anos para trás, ela não quer mais parcerias, um exemplo disso foi o rompimento com a premiação da Bola de Ouro, para ter um prêmio só da Fifa, o The BEST, que premia os melhores jogadores da temporada do futebol da vida real.

A Fifa quer funcionar mais como uma empresa e menos como uma associação que visa proteger a prática do esporte, isso pode ser bom e ruim tudo ao mesmo tempo, Gianni não está mais contente com 500 milhões de licenciamento, eles querem agora 1 Bilhão a cada 4 anos.

Pode ser que a EA queira seguir a konami e por isso mudou a estratégia de nome?

Pode ser, mas confio mais na teoria que o plano foi por água abaixo e que às pressas é necessário obter uma outra estratégia.

A relação da EA com a Fifa, a federação, sempre foi muito boa e talvez injustamente unilateral, o PES e todos os outros jogos como Real Football, Virtua Striker, Dream League Soccer, Brasfoot, todos eles sequer poderiam buscar um licenciamento porque todos os acordos sempre foram fechados com a EA de antemão, não promovendo a competição.

Todos estes jogos não tinham as licenças, e por exemplo, vimos por muito tempo no PES o North London que era o clube fictício que representava o meu Arsenal, ou o London FC que representava o Chelsea.

Ou quem não lembra do fenômeno Allejo que era inspirado em Bebeto, fazedor de gols de todos os jeitos da franquia International Superstar Soccer da Konami, mas o Allejo também marcou como um símbolo da falta de oportunidade que outras empresas a não ser a EA games tinham na questão de licenciamento.

As coisas começaram a melhorar depois da criação da Fifpro, que é um sindicato dos jogadores de futebol, a qual as empresas de games poderiam negociar a licença, ou seja, o nome dos jogadores de forma separada, eu lembro que me maravilhava jogar Real Football da gameloft para symbians, no meu nokia, e todos os nomes eram verdadeiros, numa master league eu podia comprar um Fabregas ou um Ibrahimovic e isso me deixava muito feliz que eram aqueles nomes de verdade.

Até estes acordos com a Fifpro acredito que estarão ameaçados, porque o novo lema da Fifa é centralização de tudo o que é referente ao futebol.

No cenário de Esports isso pode até ser bom, pois por mais que uma empresa banque e promova uma copa do mundo para o game, assim como a Riot faz para League of Legends com o evento Worlds, dificilmente veremos ela chegar a uma dimensão assim como tem a Copa do Mundo de futebol com a fifa promovendo.

Com a Fifa, o game de futebol em modo profissional vai ganhar muito mais atenção do que existe hoje, por exemplo me baseio em coisas pequenas como no nosso instagram de notícias diárias, nós postamos notícias diárias sobre o mundo dos games, mas mesmo o fifa tendo um número gigante de jogadores e ser o esporte mais jogado do mundo, ele está muito abaixo da atenção sobre consoles e jogos online do momento como LOL, Freefire ou Fortnite.

Licenciamento é a única coisa que mantém o fifa de pé desde 2014, alguns diriam até um pouco antes, o jogo está igual todos os anos e preço está muito salgado, com a EA por exemplo perdendo licenças de campeonatos como Champions League, campeonatos nacionais como a Premier League e a Bundesliga, isso renderia a quedas catastróficas no valor das ações da EA.

A questão de licenciamento dos nomes dos jogadores e imagem é feita com a Fifpro e clubes, mas este modelo pode mudar daqui a alguns anos, lembro de por exemplo o Ibrahimovic estranhar a presença dele em um jogo do fifa e planejando publicamente processar a EA por não ter recebido a autorização, mas nem ele entendia direito o processo de compra dos direitos, acho que pelo caso ter silenciado, acredito que agora ele entendeu como funciona.

Você com certeza deve ter se deparado com vários vídeos sobre como o Fifa morreu, mas agora estamos falando de uma possibilidade real, sem a licença, a franquia vai acabar, realmente deixar de existir.

Eu torço para que o contrato não seja renovado.

Com a queda, pode existir o natural ajuste preço de mercado e então teríamos preços mais voltados à realidade e uma sincera tentativa de melhorar os gráficos e a jogabilidade dos jogos.

Algo que eu gostaria que os jogos de futebol voltassem, é ter uma maior conexão com os jogadores casuais, para que eles possam voltar a competir com os jogadores mais experientes, não de igual para igual, mas que tenham mais chances de ter um jogo equilibrado.

Não estou falando que as jogadinhas de winning eleven devam voltar para trazer uma falsa sensação de equilíbrio, mas muitas medidas como melhor controle defensivo, diminuição de dribles ridículos que não são aplicáveis no futebol real, melhoria a situação, isso está sendo feito, mas a demissão da Fifa para EA pode ser tudo o que precisamos.

Caso você tenha gostado, deixe o like, se inscreva no canal e acesse o streaming de jogos mobile gratuito, link na descrição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *