De Falidos a Fenômeno Mundial – A História de League of Legends


De Falidos a Fenômeno Mundial – A História de League of Legends

Hype Images

De jogo falido e quebrado, para fenômeno mundial, mas qual foi a origem deste sonho e como ele se alastrou por todo mundo, neste vídeo vamos desenrolar e curtir como League of Legends se tornou o maior jogo de Esports do mundo.

A história do jogo também faz parte das raízes do estilo de jogo MOBA, League of Legends foi inspirado em DotA, não a franquia milionária que conhecemos hoje, que se chama DotA2 mas sim, um mod feito pela Blizzard para Warcraft 3, este mod por sua vez foi inspirado num mod feito por fãs para Starcraft, tudo isso em meados dos anos 2000.

Tudo começou com dois jovens, sim, nestas histórias de criações impactantes no mundo da tecnologia, geralmente é uma dupla, como por exemplo Steve Jobs e Steve Wozniack fundaram a Apple, Bill Gates e Paul Allen fundaram a Microsoft, Mark Zuckerberg e Eduardo Saverin fundaram o Facebook, mas diferente destas duplas, os amigos Brandon Beck e Marc Merrill, não eram formados em computação ou qualquer coisa correlata a tecnologia, eles eram estudantes de FINANÇAS na universidade do sul da Califórnia (USC) e fundaram a empresa Riot Game.

Apesar da formação, eles dois gostavam muito de jogos multiplayer e aproveitaram muito o jogo Starcraft que foi um dos pioneiros no quesito de jogo multiplayer de estratégia com minimapa.

Beck em entrevista ao site Polygon disse:

“Nós morávamos juntos em um pequeno apartamento em West Hollywood”,. “Foi lá na verdade que a Riot meio que começou. Você entrava em nosso apartamento e não havia praticamente nenhum móvel em lugar algum, nada nas paredes, quadros que não havíamos pendurado ainda. E dois PCs para jogos em duas mesas”

A dupla tinha uma tristeza recorrente, muitos jogos que caíam no gosto da comunidade, depois de alguns anos, eles eram abandonados pelas empresas vide o próprio Starcraft, deixando todos aqueles jogadores como órfãos, que desperdiçaram seu tempo.

Lembro dessa sensação bem presente nos jogadores de servidores piratas de MU aqui no Brasil e GrandChase, antes da volta da franquia em 2021. Brandon e Marc então entenderam que o jogo que iriam produzir sempre teria que obter atualizações novas para manter a comunidade empolgada.

Eles conseguiram levantar com investidores, um pouco mais de 1 milhão de dólares e começaram a trabalhar no jogo que conhecemos hoje como League of Legends e produzir a sua primeira versão.

No começo, a empresa junto de desenvolvedores de DotA (mod de warcraft 3), lutaram para dar identidade ao jogo, tanto no layout, quanto na dinâmica do jogo, se você já se irrita com a falta de balanceamento dos personagens hoje, bom nem queira saber como foi o começo.

Devido ter uma proposta muito parecida com o Mod de Warcraft, muitos jogadores do mod automaticamente apoiaram e construíram uma comunidade em volta de League of Legends, não deixando o jogo começar do zero em questão de popularidade.

O jogo não estava pronto para ser um E-sport, para você ter uma ideia, quando era transmitido um jogo, não havia um programa instalado no PC do administrador para transmissões, ou seja, muitas das vezes os narradores não conseguiam achar os jogadores dentro do mapa, e ficavam alguns segundos procurando os confrontos para então poder narrar.

O momento tinha chegado e em meados de 2011, league of legends teve o seu primeiro campeonato mundial, com o time FNATIC sendo campeão e levando para casa um cheque de US$ 50 mil dólares, equivalente a aproximadamente R$ 250 mil reais com a cotação do dólar hoje, dali em diante, mundo estava pronto para um E-sport de nível estratosférico.

Um outro boost que o jogo teve para aumentar a popularidade, foi a inserção de campeões durante as temporadas, logo na segunda temporada, a adição de mais campeões com diferentes habilidades e características, balançou bastante a comunidade gamer.

Mesmo com a crescente popularidade, League se via ainda muito longe de outros E-sports como Starcraft que lotava e ainda lota estádios na Coreia do Sul, então a Riot investiu mais tempo, dinheiro e divulgação para que os campeonatos sejam melhor distribuídos pelo mundo, com melhor suporte da empresa e que possam se tornar um fenômeno global capazes de lotar ginásios e estádios, assim como os seus principais concorrentes.

Só então em 2013, neste momento, League of Legends se tornou uma febre na China e Coreia do Sul, revelando uma das maiores rivalidades do esporte digital, e geralmente os esportes tradicionais se alimentam de rivalidades, assim como Michael Jordan tinha com Isaiah Thomas, ou Cristiano com Messi, ou Djokovic com Federer, naquela temporada de 2013 nasceu mais uma, entre FAKER e UZI, em busca da definição de quem seria o melhor de todos os tempos.

UZI é um atleta chinês de league of legends, que com apenas 15 anos já estava no topo do mundo, ele estava muito a frente do seu tempo, com certeza um vanguardista, com uma dinâmica de jogo totalmente diferente do que se estava acostumado.

Uzi highlight (Video)

Mas ao mesmo tempo, um outro fenômeno estava nascendo na Coreia, ele futuramente seria chamado de GOAT, o melhor de todos os tempos, sim, Faker, estava crescendo e SK Telecom que é uma operadora de telefonia dominante na coreia, assim como a VIVO no Brasil, ficou muito interessada em reunir estrelas para promover a empresa e competir futuramente, FAKER aceitou e assistimos uma dinastia acontecer. Sim, a dinastia de deixar o like e se inscrever no canal

O Duelo aconteceu, de um lado FAKER e do outro lado UZI, RYL vs SKT, FAKER provou porque ele talvez seja sim, digno da expressão, o melhor de todos os tempos.

Imagens da Final 2013 Faker Brilhante

Faker e a SKT brilharam, mas junto da dinastia da SKT que durou até 2016, mas podendo se discutir 2017 com uma boa campanha e um vice campeonato mundial, dentro deste período, nasceu um novo grande adversário, alguém também bancado por uma empresa rica, mas diferente da SK Telecom, esta era uma empresa mundial também coreana, a Samsung, que teve o que chamamos de um time galáctico, em todas as posições.

Imagens melhores momentos da Samsung Galaxy

Mesmo com a vitória da Samsung Galaxy em 2017, destronando FAKER e a SKT, a empresa deixou de ser patrocinada pela Samsung, foi vendida para a chinesa KSV que nomeou a equipe como GEN.G e permanece ativa atualmente.

2016 e 2017, foram anos que estabeleceram que League of Legends realmente era um E-Sport global e não de nicho de regiões, é claro que ainda existe uma superioridade da Asia sobre a Europa e a Europa entre as outras regiões, mas claramente, elas vão diminuido, por dois motivos:

Maior investimento das grandes instituições privadas em times, como por exemplo aqui no Brasil, VIVO, KABUM, KALUNGA, FLAMENGO entre outras.
Melhor trabalho feito nas ACADEMIES, pois é o que se poderia aproximar de uma segunda divisão em outros esportes, aumentando competitividade.

Com as vendas de skins explodindo, aumento de público nos eventos, aumento de jogadores, tudo parecia estar indo para o caminho certo, correto? errado, a cada patch, a cada atualização, mais jogadores começavam a reclamar, pois este novo balanceamento poderia destruir toda a temporada de um atleta de e-sports considerando todo o estudo e preparação para um campeão específico.

Por causa disso, os donos dos principais times se uniram para pedir melhorias da Riot, que respondeu com uma resposta não muito amigável e profissional, Marc, criador do league of legends disse pelo twitter que “os donos deveriam parar de investir em outros E-sports que estão torrando o dinheiro deles, e não gastar o dinheiro que ganham com League of Legends atoa”, isso soou muito mal para jogadores, donos e comunidade, o que motivou hashtags nos Trending Topics do twitter que uniu a comunidade contra a empresa.

Em 2019, muitas alegações de ambiente tóxico e assédio, surgiram na empresa, tendo como consequência um pedido de desculpas dos fundadores.

Tudo isso, veio em um momento que a empresa não queria, pois em entrevistas, Marc e Brandon sempre disseram a vontade de mudar o nome da Riot Game inserindo um s, ou seja, adicionando mais jogos no catalogo, e isso venho nos anos subsequentes, como :

Teamfight Tatics

é um jogo gratuito de estratégia e auto chess desenvolvido e publicado pela Riot Games. O jogo se passa no universo de League of Legends e é baseado no Dota Auto Chess, onde os jogadores competem online contra outros sete adversários, construindo uma equipe para ser a última em pé. O jogo foi lançado como um modo de jogo de League of Legends para Microsoft Windows e macOS em junho de 2019 e como um jogo independente para Android e iOS em março de 2020, apresentando o cross-play entre as plataformas.

Legends of Runeterra

Legends of Runeterra (abreviado como LoR) é um jogo de cartas colecionáveis gratuito desenvolvido e publicado pela Riot Games. Foi lançado em 28 abril de 2020 para dispositivos Android, iOS e Microsoft Windows. Lançado em beta em 24 de janeiro de 2020, situa-se no mesmo universo de League of Legends, o jogo MOBA da Riot Games.

LoL: Wild Rift

O jogo é uma versão adaptada de seu equivalente para PC, League of Legends.

Valorant

Valorant é um jogo eletrônico multiplayer gratuito para jogar de tiro em primeira pessoa desenvolvido e publicado pela Riot Games. É o primeiro jogo do gênero desenvolvido pela empresa, sendo anunciado pela primeira vez com o codinome Project A em outubro de 2019, em um evento de comemoração de 10 anos de League of Legends.Foi lançado em 2 de junho de 2020 para Microsoft Windows.

Entre outros projetos e mini-jogos.

League of Legends é o resultado do amor dos fãs, que queriam jogar seus mods e sem querer propuseram algo diferente para a indústria, uma empresa conseguiu capturar isso a tempo, e com paciência, trabalho e com a ajuda da comunidade, transformou um JOGO em um esporte que provavelmente, estará entre as próximas gerações.

Gostou do video, deixe um like e se inscreva no canal
Acesse o streaming de jogos gratuito para celular Jogos.AplicativosEcia.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *